domingo, 28 de dezembro de 2008

As Boas Festas a Gaza por parte do governo de Israel...

"Justificando" a iniciativa deste ataque como retaliação contra a "ruptura" do cessar-fogo por parte do Hamas (uma morte israelita resultante de rockets deste movimento) o governo de Israel acaba de matar cerca de trezentas pessoas, incluindo cem polícias palestinianos, mulheres e crianças, no pior bombardeamento concentrado alguma vez feito nesta área, desta vez com F-16.
Na gravação de baixo, depois de uma reportagem da Associated Press, a CNN entrevista uma porta-voz da Autoridade Palestiniana em Ramallah sobre o desrespeito continuado do cessar-fogo por parte de Israel que está na origem das reacções palestinianas. O Hamas já fez, entretanto, apelo a uma nova intifada na mesma altura em que Israel, com uma concentração de tropas, parece preparar uma ofensiva terrestre em Gaza.

video

3 comentários:

gabriela disse...

Esta carnificina dos povos, Palestiniano e Israelita, sob o olhar complacente das autoridades internacionais, só terminará quando não existir qualquer ser humano naquele território?
Até quando os interesses financeiros continuarão a falar mais alto?

antreus disse...

Receio que os israelitas estejam a preparar uma invasão de Gaza para criare um novo stato-quo antes da posse do Obama, donde poderiam partir para reclamaçoes territoriais e de policiamento próprio.

Anónimo disse...

Os israelitas, quer dizer, António, o Poder Israelita, mesmo que os apoiantes deste tipo de acções do terrorismo de Estado entre o povo israelita - israelense? - pareça constituir uma percentagem "anormalmente" elevada... como tem sido o caso de outros povos em situações igualmente abstrusas, como foi o caso dos alemães no tempo de Hitler e de outros povos... que acabam por ir nestas conversas (não os nomeio aqui). É triste mas é uma verdade quase científica. Depois vem a libertação e, no dia seguinte, até os apoiantes do fascismo cantam a gaivota e, em menor número, o avante camarada - claro, durante um periodo curto enquanto quase a correlação de forças do "ex-ante" se não restabelece. É triste, mas é sabendo estas coisas que temos que continuar a trabalhar para levar a estabelecer estruturalmente, compertinácia infinita, diferentes correlações de forças como pareceu ter acontecido na União Soviética e como, espero com todas as forças, esteja a acontecer na nossa querida Cuba. FSilva.