terça-feira, 26 de julho de 2011

O que disse Obama sobre a chacina na Noruega e o que disse o primeiro-ministro da Noruega

Ainda poucas horas tinham passado sobre a perpretação dos crimes, já Obama, com base em informações do seus serviços secretos, declarava no decurso de uma visita do primeiro-ministro neo-zelandês à Casa Branca, que a origem do atentado vinha de organizações islâmicas, que era necessária uma cooperação global contra o terrorismo, e que ele era mais uma razão para a justeza das guerras que os EUA conduzem no Afeganistão e Iraque.
Depois disso, o primeiro-ministro da Noruega, Jens Stoltenberg, dirigindo-se ao seu povo referia:

"Hoje a Noruega sofreu dois ataques chocantes, sangrentos e  cobardes. Ainda não sabemos quem nos atacou. Ainda muita coisa incerta"(...)
"Temos uma mensagem para as pessoas que nos atacaram e para os que estão por detrás delas:
Não nos destruirão.
Não destruirão a nossa democracia nem a aspiração a um mundo melhor. Somos uma pequena nação, mas uma nação orgulhosa de si." (...)
Nunca devemos deixar de afirmar os nossos valores. Temos que mostrar que a nossa sociedade aberta pode passar também por este teste. E que a resposta à violência até é mais democracia, até mais humanidade, sem cairmos na ingenuidade".

2 comentários:

Eduardo disse...

Provavelmente Obama já tinha o discurso preparado para, logo que tivesse a notícia do atentado, ser o primeiro a direccionar as acusações para o lado que lhe interessava.
No entanto, tudo indica ser exactamente ao contrário do que disse. O "Terrorista" é anti-islâmico, de formação da área católica e de extrema direita. Conseguirmos vir a saber quem está a apoia-lo?

Anónimo disse...

Pois é os EUA, são lestos a criar a baderna para o lado que lhes convém, será que estão isentos de culpas em todo este processo terrorista, claro, apoiaram o Bin Ladem quando da guerra contra os russos no Afeganistão, apoiam a Mossad no branqueamento dos atentados contra o Povo Palestiniano e os Povos Arabes, apoiaram o governo fantoche de Rios no Uruguai, apoiam o piorio da reacção contra os russos, nos países limitrofes,apoiam e fomentam a desestabilização em todo o mundo, como diz o Povo lá irão por onde lho pague, e um dia o povo americano abrirá os olhos e pôe estes fulanos andar!