sábado, 25 de agosto de 2012

1º de Maio de 1974 na Avenida dos Aliados, no Porto


Já referi, noutro lugar, esta minha experiência. Saído de uma clandestinidade, que foi breve, conversava com outro dos presentes antes do comício começar.

Ele, um burguês, claramente originário da lavoura, com o chapéu de feltro na nuca, a corrente do relógio saída de um bolso do colete e uns brutos anéis nos dedos, pousando-me a mão no ombro disse "Meu amigo, o que está a ver é tudo pessoal de Gaia...".
A foto é do repórter, meu amigo, Sérgio Valente.

3 comentários:

Judite Castro disse...

Eram muitos, lá isso eram. Mas faltava lá eu que sou de Gaia. Nesse 1.º de Maio estava na manifestação de Coimbra

Edgar Carneiro disse...

Estive lá, cheio de esperança no futuro, sentindo-me perto do sonho.
Logo a seguir abriu Aníbal Cunha, os laços foram reatados e o sonho começou a tomar forma.

Anónimo disse...

Tantos tantos mil!