quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Em memória de Rachel Corrie, pela Palestina


Ontem um tribunal israelita considerou que o assassinato de Rachel Corrie, cidadã norte-americana, praticado por um buldozer do exército israelita em 2003 tinha sido um acid
ente e ilibou de responsabilidades o Estado de Israel.
A acção tinha sido interposta pelos pais de Corrie que, ao longo destes 9 anos gastaram centenas de milhar de euros em deslocações para Israel, sem apoio da administração norte-americana.
Nesse dia de 2003 Rachel, de megafone em punho, encabeçava uma pequena manifestação de outros defensores da causa palestiniana, que queria impedir o buldozer de continuar a destruir casas de palestinianos na faixa de Gaza. O buldozer (retroscavadora) passou-lhe por cima, esmagando-a.


Como é habitual a comunicação social portuguesa (e não só) nada disse para que fique a idéia de que o crime não existiu...Triste liberdade de informação que todos os directores dos vários media tanto reclamam. Inquisidores dos tempos de hoje?

4 comentários:

Edgar Carneiro disse...

António Abreu,
obrigado por denunciares estes casos que a "informação social" ignora.
Um abraço

Graciete Rietsch disse...

Um acidente?!!!!!!!!! Quem pode acreditar?!!!!!!!

Um beijo.

Anónimo disse...

Rachel Corrie,não te esqueceremos nem a estes fdp nos media.....
Há de chegar o dia da Justiça e esses fdp, pagarem-nas!!!!!
Não ao Social Porreirismo com CRIMINOSOS!

Anónimo disse...

Não esquecemos mesmo!