domingo, 16 de maio de 2010

A Luna e a Estrela




No espaço de um mês, perdemos duas amigas, que já eram membros da família, por direito adquirido ao longo de 19 anos.

A Luna e a Estrela vieram até nós bebés e agora estão sepultadas, lado a lado num quintal, algures no centro do país.

Podia aqui contar-vos mil estórias deste convívio continuado. Das meiguices às dentadas, das brincadeiras aos amuos, dos cuidados connosco e de nós com elas, enfim, o sentimento de perda ainda se prolonga, as feridas não estão fechadas, passou a haver um espaço vazio nas nossas vidas.

Os que de vocês têm animais como estes, compreenderão melhor a necessidade destas palavras.

2 comentários:

uni disse...

É realmente muito doloroso vermos partir assim seres a quem nos afeiçoamos e que deram-nos tantas alegrias. As feridas custam a sarar.
Mas eles geneticamente foram concebidos terem as vidas mais curtas do que as nossas...
Ficam as recordações... e as fotos.
E os donos para os recordarem... Felizmente!

Anónimo disse...

COMO EU SEI O QUANTO CUSTA PERDER AMIGOS DESSES SOBRE OS QUAIS NUNCA SE TEM DUVIDA ALGUMA DA SUA DEDICAÇÃO E FIDELIDADE.
MAS COMO TUDO NA VIDA FAÇAMOS O NOSSO LUTO LEMBRANDO O QUE DE BOM E BONITO NOS DEIXARAM, POIS A UNICA COISA QUE TEMOS CERTEZA AO NASCER É DE QUE UM DIA MORREREMOS.
QUE ESTE BELO DIA VOS ANIME.
BJS