quarta-feira, 21 de setembro de 2011

A NATO e a Al-Qaeda arrasam a Líbia

1  . A "rebelião"que, na Líbia, levou a Al-Qaeda ao poder, prossegue a destruição do país apoiada nos permanentes bombardeamentos da NATO, nas acções da inteligência dos 3 principais agressores envolvidos (EUA,  Inglaterra e França) e no apoio logístico e de homens do Qatar ,este dispondo do canal Al-Jazeera. Obama  já garantiu  que a pemanência da NATO no terreno não dispõe de limites previstos..
A resistência à ocupação total do país prossegue e Obama já anunciou que a NATO permanecerá na Líbia sem limite previsto.O silêncio informativo instalou-se e é de recear que, na sequência do bombardeamento da NATO, que matou há dias mais de quatrocentas pessoas numa zona residencial da cidade onde nasceu Kadhafi, possam estar a prosseguir massacres nas zonas de resistência.

2.  Em mais de seis meses, os agressores da NATO e da Al-Qaeda arrasaram conquistas sociais fundamentais num país que, sendo de África, atingira elevados padrões de vida.
Com um elevado PIB per capita de 16502 dólares (Portugal com 23000), este estava a crescer na ordem dos 2% ao ano. Em 30 anos a mortalidade infantil passou de 70/1000  para 17/1'000 e a esperança de vida de 61 para 75 anos (fonte UNESCO e FAO) . Com 6,4 milhões de habitantes, a Líbia tinha há 2 anos um crescimento populacional de 2%, sendo a população dos 0-14 anos de 22%, apresentava uma fertilidade (nascimentos por mulher) de 2.6%.
A situação está caótica e estes e outros índices vão regredir com a entrada das empresas estrangeiras, as condições dos empréstimos, etc. A Líbia levará muito tempo, mesmo livrando-se dos agressores externos, a recuperar as condições de vida e a posição que já teve.
Se estiver interessado em aceder a dados da Líbia antes da agressão sobre a saúde, a educação, o sistema de controlo de preços,  carregue aqui, aqui e aqui. Com os países ocupantes e a Al-Qaeda tudo isto se vai desmoronar.

3.  Agora os países "doadores" do G8 e os países credores (com as unhas bem fincadas no petróleo líbio) vão reconstruir o que destruíram. Com o reconhecimento do CNT pelo FMI e o Banco Mundial, a Líbia pagará um preço muito elevado pela "salvação" que a NATO lhe fez cair dos céus...
Antes da agressão a Líbia não tinha dívidas. Financiava países africanos e outros agora seus agressores
Agora foram-lhe já confiscados 100 dos 150 mil milhões de dólares depositados nestes e noutros países. Esse dinheiro vai ser utilizado agora para a "reconstrução" , feita por grandes empresas dos países agressores e os G8 emprestarão muito dinheiro para endividar o futuro.

1 comentário:

Rogério Pereira disse...

Bom documento. Boa denúncia.